Conheça os acessórios para Oxigenoterapia

O VitalAire possui uma oferta completa de acessórios em oxigenoterapia

Homem deitado utilizando oxímetro de dedo

Oxímetro: o acessório imprescindível para quem faz uso de oxigenoterapia domiciliar

O oxímetro de dedo é um método não invasivo que fornece, de forma imediata, a medida da saturação de oxigênio no sangue arterial e detecta imediatamente as suas variações bruscas.

Indicações para o uso do oxímetro

Com o uso do oxímetro, o paciente pode avaliar se o fluxo de oxigênio utilizado é capaz de manter a saturação de oxigênio no limite recomendado pelo médico.

Geralmente, o objetivo é manter a SpO² maior que 90% durante todas as atividades de vida diária, podendo variar de acordo com cada caso e patologia. 

Tanto em repouso como durante atividades de vida diária, como: tomar banho, andar, realizar exercícios e, até mesmo, em viagens de avião, a quantidade de fluxo de oxigênio usada em repouso quase sempre não é suficiente para manter a saturação durante estas atividades, e isto poderá ser facilmente visto em casa, com uso de oxímetro.

Confira alguns dos principais acessórios para o tratamento:

Acessórios Período de troca sugerido Para que serve
Catéter Nasal 3 meses Interface com o paciente
Extensão 6 meses Ganho de mobilidade com a extensão  
Máscara para traqueostomia 3 meses Para oxigenoterapia em pacientes traqueostomizados
Oxímetro de pulso - Garantia 2 anos. Aparelho para aferir a saturação de oxigênio.
Umidificadores 6 meses Impedir o ressecamento das vias aéreas

 

Fique Atento

Pacientes com doenças pulmonares crônicas geralmente só começam a apresentar sintomas de falta de ar e cianose das extremidades quando o oxigênio do sangue já está muito abaixo do recomendado. Neste caso, se o paciente possuir um oxímetro, poderá observar, e assim, corrigir a baixa de oxigênio mesmo na ausência de sintomas.

O paciente deve avisar seu médico imediatamente sobre esta diminuição súbita da SpO², após checar se não há problemas na fonte de oxigênio. Diminuição súbita do nível de oxigênio (por exemplo, durante um resfriado) pode ser sinal de problemas.

Presença de frequência cardíaca maior do que 100 batimentos por minuto ou menor do que 40 batimentos por minuto devem ser comunicados imediatamente ao médico. Durante uma crise de falta de ar é possível que o nível de oxigênio esteja normal. O paciente deve procurar atendimento médico se a falta de ar piorar, surgir “chiados” ou aumento da frequência cardíaca, mesmo se a SpO² estiver normal.