O que é Apneia do Sono?

Apneia do Sono explicada em 1 min

A Apneia do Sono é uma pausa involuntária da respiração durante o sono por pelo menos 10 segundos. A Apneia Obstrutiva do Sono (AOS) é o tipo mais comum, causada por uma obstrução das vias aéreas na região da garganta(1,2), ela acontece quando os músculos relaxam durante o sono.

O fluxo de ar é obstruído ou reduzido, causando vibrações que resultam em ronco durante o sono e uma queda do oxigênio. O cérebro percebe essa falta de oxigênio e responde com “micro-despertares” repentinos, inconscientes e que não duram muito tempo, chamado de ronco ressuscitador para restaurar a respiração. A ocorrência repetida de interrupções frequentes da respiração durante a noite quebra o padrão de sono, que deixa de ser uma atividade restauradora.

A Apneia Obstrutiva do Sono é um distúrbio do sono grave e muito comum que afeta significativamente a qualidade de vida e a saúde.

Conheça os sinais e sintomas da Apneia do Sono

A apneia do sono está comumente associada ao ronco alto, mas nem todos os roncadores sofrem de apneia(4). Para 75% dos portadores de apneia do sono, o primeiro sinal é quando seu/sua parceiro(a) de cama reclama disso (4), ou quando percebe que você está ofegante ou respirando de maneira anormal e, por isso, também passa a ter um sono agitado(5). Essa falta de sono tem um impacto significativo sobre sua qualidade de vida geral.

Durante o dia, outro sinal comum é a sonolência excessiva, tal como sentir-se cansado de manhã após uma noite inteira de sono ou querer tirar um cochilo durante o dia.(5)

  • Acordar com dor de cabeça

  • Falta de concentração

  • Falta de energia

  • Irritabilidade

  • Pesadelos frequentes

  • Sentir-se asfixiado durante o sono

  • Visitas repetidas ao banheiro à noite

  • Perda da libido

Os riscos da Apneia do Sono para a saúde

Se não for tratada, a apneia do sono pode causar várias complicações, principalmente cardiovasculares (10) e metabólicas (11) em longo prazo.

AOS e problemas do coração: Médica medindo frequência cardíaca

Apneia obstrutiva do sono e seu coração

A combinação de distúrbios do sono e falta de oxigênio pode levar ao desenvolvimento ou agravamento de problemas cardiovasculares, como (10, 11, 13):

  • Hipertensão (pressão alta);
  • Arritmia (distúrbio do ritmo cardíaco);
  • Acidente cerebrovascular (AVC ou AVC);
  • Infarto do miocárdio (ataque cardíaco); (14)
  • Insuficiência cardíaca (quando o coração não bombeia mais sangue suficiente para atender às necessidades do corpo) (15).
Diabetes e Apneia do Sono: Conheça os riscos

Obesidade, diabetes e apneia do sono: uma ligação estreita

Aproximadamente 15-30% das pessoas com apneia também têm diabetes tipo 2 (11), confirmam pesquisas. 

A fragmentação do sono também tem impacto negativo nos hábitos alimentares, pois aumenta a sensação de fome e reduz a saciedade (11). A obesidade  é um fator de risco para diabetes tipo 2 e um fator agravante da síndrome da apneia obstrutiva do sono (11)

Em média, a depressão e a ansiedade afetam 35% e 32% dos pacientes com a doença, respectivamente (12). É importante tratar cada um desses fatores e fazer consultas regulares com um médico.

Como saber se sofro com Apneia do Sono?

Todos nós podemos sofrer com roncos, nos sentir cansados durante o dia… Mas o ronco é sintoma de apneia do sono?

A doença afeta pessoas de todas as idades, e 1% a 6% da população adulta no mundo todo(17).

Alguns fatores predispõem as pessoas a desenvolverem essa doença crônica e evolutiva: ser do sexo masculino, estar acima do peso, ter mais de 50 anos de idade, ter um pescoço largo, um nariz fino, uma mandíbula pequena e ter histórico familiar de apneia do sono (18). Com esse teste simples, conhecido como Questionário de Berlim, podemos ajudar a avaliar seu risco de sofrer de apneia do sono. 

Lembre-se de que o resultado deste teste não é um diagnóstico. Compartilhe o resultado com seu médico.

Você ronca?

O ronco alto e frequente é um dos indicadores de apneia do sono. No entanto, nem todos os roncadores têm a doença. Está em dúvida se você sofre de apneia do sono?

> Faça o teste completo

Referências

1. The World Health Organization. Chronic respiratory diseases www.who.int/gard/publications/chronic_respiratory_diseases.pdf viewed 05/21/2015
2. Rules for Scoring Respiratory Events in Sleep: Update of the 2007 AASM Manual for Scoring of Sleep and Associated Events – Journal of Clinical Sleep Medicine, Vol. 8, No. 5, 2012
4.Sleep breathing disorders – European Respiratory Society White Book (chapter 23) 
5.Obstructive sleep apnoea, Sleep Health Foundation, 2011
6.American Academy of Sleep Medicine (AASM)- Sleep disorders-Sleep Apnea, Consulted 08/12/2021@https://sleepeducation.org/sleep-disorders/sleep-apnea
7.Obstructive sleep apnoea, Sleep Health Foundation, 2011
8.Sleep breathing disorders – European Respiratory Society White Book (chapter
9.Terán-Santos J., Jiménez-Gómez A., & Cordero-Guevara, J. (1999). The association between sleep apnea and the risk of traffic accidents. N Engl J Med., 340(11), 881-3.
10.Somers VK et al. Circulation. 2008 Sep 2;118(10):1080-111
11.Reutrakul S et al. Obstructive Sleep Apnea and Diabetes: A State of the Art Review. Chest. 2017 Nov;152(5):1070-1086
12.Garbarino S et al. Association of Anxiety and Depression in Obstructive Sleep Apnea Patients: A Systematic Review and Meta-Analysis. Behav Sleep Med. 2020 Jan-Feb;18(1):35-57
13.Bonsignore MR et al. Obstructive sleep apnea and comorbidities: a dangerous liaison. Multidiscip Respir Med. 2019 Feb 14;14:8
14.American Heart Association. Heart and stroke encyclopedia. Coronary thrombosis
15.American Heart Association. Heart and stroke encyclopedia. Heart failure
16. Obstructive Sleep Apnoea – A guide for GPs – British Lung Foundation (NHS)
17. Benjafield Adam V et al. Estimation of the global prevalence and burden of obstructive sleep apnoea: a literature-based analysis. Lancet Respir Med. 2019;7(8):687-698. doi:10.1016/S2213-2600(19)30198-5
18. Tufik S, Santos-Silva R, Taddei JA, Bittencourt LRA. Obstructive sleep apnea syndrome n the Sao Paulo epidemiologic sleep study. Sleep Med 2010;11:441–6.
19. Heinzer R, Vat S, Marques-Vidal P, et al. Prevalence of sleep-disordered breathing inthe general population: the HypnoLaus study. Lancet Resp Med 2015;3:310–8.
20. Sleep breathing disorders – European Respiratory Society WhiteBook (chapter 23)