Resultados do Estudo do Sono

Como Interpretar os Resultados do Estudo do Sono

Após realizar um estudo do sono e receber os resultados, você poderá ficar curioso para entender o que esse exame tem a dizer sobre a saúde do seu sono. Porém, os termos técnicos e a linguagem médica podem ser um pouco confusos, portanto, é importante entender o que significam na prática.
 
Confira este guia útil para ajudar você a compreender os resultados do seu estudo do sono.
 
Sempre agende uma consulta para analisar os resultados com seu médico, que poderá então aconselhar o melhor curso de tratamento.

1. O que os números do IAH significam?

IAH é a sigla referente ao índice de apneia/hipopneia – essa é a métrica mais confiável para avaliar se você sofre de apneia do sono.

O IAH contabiliza o número médio do que chamamos de eventos respiratórios – como apneias ou hipopneias – que você tem a cada hora.

Apneia é quando você fica sem respirar por 10 segundos ou mais e também apresenta queda de saturação periférica de oxigênio ou queda de oxigenação no sangue. Hipopneia é uma perda parcial da respiração por 10 segundos ou mais e é tão grave quanto uma apneia (também apresenta queda de oxigenação no sangue).

IAH Classificação
<5  Normal (Ausência de Apneia do Sono)
 5- 15 Apneia do Sono Leve
15- 30 Apneia do Sono Moderada
>30 Apneia do Sono Grave

O índice de apneia e hipopneia mede a gravidade da apneia do sono: menos de 5 eventos por hora (ou um IAH abaixo de 5) é considerado como um sono normal, ao passo que um IAH maior de 30 por hora sugere que você tem apneia do sono grave. Sua pontuação em relação ao índice de apneia e hipopneia mostrará onde você está na escala de gravidade.

2. Movimento do corpo e interrupções do sono

A polissonografia não se trata apenas da avaliação de apneias e hipopneias – há outras coisas a serem observadas no estudo do sono que podem apontar para um distúrbio.

Por exemplo, RERAs (despertares associados ao esforço respiratório devido ao aumento da resistência para a passagem do ar nas vias aéreas) são eventos que afetam a respiração e a qualidade do sono de formas diferentes de uma apneia ou hipopneia. 

O estudo do sono também pode detectar despertares ou movimentos excessivos das pernas. Todos esses eventos devem ser considerados na avaliação para estabelecer um diagnóstico e o curso de tratamento subsequente.

3. Estágios do sono

Cada ciclo de sono contém quatro estágios – conhecidos como sono N1, N2, N3 e R.E.M. (Movimento Rápido dos Olhos) – e passamos por cada um desses estágios várias vezes durante uma noite normal. 

A apneia do sono pode causar despertares que impedem que você alcance o estado de sono mais profundo (N3), por isso você acorda se sentindo cansado e continua querendo tirar um cochilo durante o dia.

Especialistas do sono poderão detectar se os estágios do seu sono são interrompidos analisando os dados fornecidos pelo monitoramento das ondas cerebrais via eletrocardiograma, que faz parte do exame de polissonografia.

4. Como você dorme

A posição do corpo também pode ter um impacto sobre a apneia do sono. 

O estudo do sono mostrará quanto tempo você dorme de barriga para baixo (posição supina), de barriga para cima e sobre cada lado do corpo direito ou esquerdo (decúbito lateral direito e esquerdo).

 

5. Saturação de oxigênio (SaO2)

Quando sua respiração pausa durante o sono, significa que você não está obtendo todo o oxigênio que necessita na sua corrente sanguínea. O percentual da capacidade de oxigênio que seu corpo tem de inalar e absorver na corrente sanguínea é medido pela saturação de oxigênio (SaO2).

Nos casos de apneia do sono grave, o nível de oxigênio pode cair muito – em casos graves pode chegar a 60% ou menos durante o sono. Isso pode ser incompatível com a vida e significa que apenas um pouco mais da metade do oxigênio que você precisa para funcionar está sendo absorvido.

Caso a saturação fique abaixo de 92%, seu corpo e cérebro estarão sendo privados de oxigênio. Isso poderá gerar danos ao cérebro e graves problemas cardiovasculares. Se um dispositivo PAP (pressão positiva nas vias aéreas), mais conhecido como CPAP, for receitado pelo médico para você, o equipamento fornecerá o fluxo de ar que você necessita para respirar normalmente e ter uma boa noite de sono, bem como normalizará sua oxigenação e saturação.

6. Terapia e tratamento

De acordo com os resultados do seu estudo do sono, seu médico ou especialista do sono poderá recomendar outro estudo ou o uso da terapia CPAP associada, com o objetivo de realizar a titulação de pressão (cmH2O). Saiba mais

Referência